Alberto Nascimento

AlbertoNascimento

NOME: Alberto Nascimento
IDADE: 30
CIDADE E ESTADO EM QUE VIVE:  Goiânia (GO)
FORMAÇÃO: Antes de me apaixonar pelo mundo das cervejas estudei Engenharia Mecatrônica e trabalhei numa multinacional do ramo de transporte vertical (elevadores).
ATUAÇÃO NA CERVEJA: Sommelier de cervejas na Cervejaria Goyaz (Cerveja Colombina).
BLOG/SITE: http://facebook.com/cervejacolombina
TWITTER: Não possui
FACEBOOK: http://facebook.com/albertomeca
INSTAGRAM:  http://instagram.com/albertocervejas

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil
Falke Vivre pour Vivre. Essa cerveja me encanta pela sua magia, pela paixão com que Marco Falcone descreve o processo produtivo e sua inspiração para esse produto. Na minha opinião essa é a melhor Ale produzida no Brasil não só pelo produto em si, mas também pelo conceito que carrega.

1a) Melhor IPA produzida no Brasil
Seasons Green Cow IPA.

1b) Melhor Weissbier produzida no Brasil
Carolweiss, da Taberna do Vale (MG).

2) Melhor Lager produzida no Brasil
Wäls Bohemia Pilsen. Fico feliz em ver que o mercado brasileiro evoluiu muito na produção de boas Lagers, mas apesar das fantásticas novidades (Jan Kubis da DUM, por exemplo), minha preferência ainda é por essa Bohemian Pilsner mineira.

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
Brewdog Paradox Jura.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Brewdog Fake Lager.

5) Qual estilo de cerveja você mais bebeu no ano?
Saison. Em 2014 trabalhamos no desenvolvimento de uma Colombina Saison, isso me fez experimentar vários rótulos deste estilo durante todo o ano.

6) Qual cerveja tem a melhor relação custo x qualidade no mercado brasileiro?
Na minha opinião os rótulos da Bierland têm um melhor custo X qualidade na maioria dos Estados brasileiros. Colorado também entra bem nessa lista. Mas merece destaque a Bierland Vienna.

7) Melhor chope (nacional ou estrangeiro) à venda no Brasil
Colorado Ithaca.

8) Melhor bar/brewpub cervejeiro nacional
Bierkeller, em Porto Alegre. Melhor bar do mundo!!!

8a) Em que local você tomou o chope mais bem tirado em 2014?
Bar Glória, em Goiânia.

9) Melhor cerveja caseira
Sem dúvidas a melhor cerveja caseira que tomei em 2014 foi a Imperial Stout do cervejeiro goiano Leonardo Zoccoli, em parceria com Hernani Valinote.

10) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil
Dogfish Head.

11) Melhor blog ou site cervejeiro
Em 2014 utilizei bastante o Homini lupulo e encontrei informações de boa qualidade e textos muito bem escritos. Estão de parabéns pela curadoria.

12) Melhor design de rótulo de cerveja, nacional, importada ou caseira
Se não fosse a imparcialidade com certeza meu voto iria para a Colombina nesse quesito, no entanto vou votar no design que ocupa o segundo lugar no meu ranking: Saison à Trois das cervejarias 2Cabeças e Invicta.

13) Qual sua combinação favorita de cerveja e comida?
Sou fã de harmonizações de qualquer tipo, gosto muito de trabalhar a utilização da cerveja e seus insumos na composição dos pratos. Uma que me marcou muito esse ano foi um prato desenvolvido pela gastrônoma goiana Deborah Perigo: harmonizamos uma American Pale Ale da Way com quibe cru feito com bagaço de malte e azeite aromatizado com lúpulo Galaxy.

14) Melhor evento cervejeiro nacional
Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau (SC). Cada ano que passa fica ainda mais organizado, eficiente e bonito.

15) Qual foi a maior novidade cervejeira de 2014 (receita, cervejaria ou técnica)?
Lake Side Beer e suas cervejas sem glúten.

16) Melhor fato cervejeiro
A consolidação da Abracerva. O projeto é defendido e trabalhado há algum tempo pelas microcervejarias, especialmente por Marcelo Carneiro da Rocha e pelo Jorge Gitzler, mas esse ano a associação conseguiu uma mobilização mais forte e eficiente. Espero que em 2015 ela se consolide de vez e continue sendo uma defensora voraz desse nosso mercado.

17) Pior fato cervejeiro
A não aprovação da entrada das microcervejarias no Simples Nacional.

18) Previsão cervejeira para 2015
Acho que o ano de 2015 vai ser marcado pelo surgimento e pela explosão de muitos players novos no mercado, principalmente cervejarias. Felizmente  tem muita gente boa empreendendo no ramo, reforçando esse time. Como exemplo trago as cervejarias “novatas” de maior sucesso no Mondial de la Bière Rio: Weird Barrel e 3 Cariocas.

19) Para você, o que é cerveja artesanal?
Acredito que cerveja artesanal seja aquela que tenha um cuidado específico com ingredientes e processos, privilegiando técnicas que tenham como princípio básico o respeito à ordem natural das coisas. Não que a capacidade produtiva da cervejaria seja um fator determinante, mas com certeza é muito mais fácil desenvolver um produto assim em ambiente de microcervejaria, com um menor foco na quantidade e no custo.

Gosto muito da frase estampada no interior da Brasserie Cantillon que diz: “Le temps ne respecte pas ce qui se fait sans lui” (o tempo não respeita aquilo que é feito sem ele). Pra mim cerveja artesanal é a cerveja que respeita, em sentido mais amplo, o tempo e as condições necessárias para se ter um bom produto.

20) Quem foi a pessoa que mais trabalhou pela cerveja brasileira em 2014?
Jorge Gitzler e a equipe da Abracerva (Marcelo Carneiro e Priscila Collares). Esse foi um ano de conquistas e de unificação da associação, os três trabalharam duro por estes resultados.

21) Que experiência própria, profissional ou pessoal, você acha que poderia ser aplicada à cerveja artesanal?
Acho que o maior trunfo desse mercado é a colaboração e é muito importante que essa postura seja mantida. Esse ano resolvemos pedir ajuda a três cervejarias nacionais em momentos diferentes e ficamos impressionados com a recepção. Uma delas chegou a nos descrever detalhadamente por e-mail o processo produtivo de um dos rótulos. Essa é a força do nosso mercado, e precisamos manter essa ligação forte entre os empreendedores do ramo.

22) É possível se sustentar trabalhando apenas com cerveja no Brasil?
Não é fácil, mas com certeza é possível. É preciso encarar o ramo de cervejas com seriedade, se preparar e se dedicar. Trabalhar com cerveja não é farra, viver de bermuda e chinelo. Trabalhar com cerveja no Brasil é criar um conceito, é ajudar a construir as bases do que um dia será um grande mercado. Nosso principal desafio é a mudança da cultura de consumo, e isso exige muito suor, preparação, estudo e paciência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s