Maíra Kimura

MairaKimura

NOME: Maíra Kimura
IDADE: 34
CIDADE E ESTADO EM QUE VIVE: Niterói (RJ)
FORMAÇÃO: Publicitária, cervejeira diplomada pela Brewlab e pelo Institute of Brewing and Distilling.
ATUAÇÃO NA CERVEJA: Co-proprietária e uma das cervejeiras da 2Cabeças e da Japas Cervejaria; beer sommelière
BLOG/SITE: http://www.2cabecas.com.br/
TWITTER: twitter.com/mairakimura
FACEBOOK: facebook.com/maira.kimura
INSTAGRAM: instagram.com/mairakimura

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil
Já começa com pergunta difícil! Vou resistir a votar em cervejas da 2Cabeças… mas se eu disser Saison à Trois, colaborativa nossa com a Invicta, conta como meio auto-voto? 🙂

1a) Melhor IPA produzida no Brasil
Invicta 1000 IBUs.

1b) Melhor Weissbier produzida no Brasil
Fraga Weiss.

2) Melhor Lager produzida no Brasil
DUM Jan Kubis.

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
São muitas! Mas tendo que escolher só uma, voto na Duchesse de Bourgogne.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Vamos com uma clássica: Pilsner Urquell.

5) Qual estilo de cerveja você mais bebeu no ano?
Muito provavelmente o estilo que mais bebi foi IPA, mas também provei várias Saisons e, felizmente, algumas Sours.

6) Qual cerveja tem a melhor relação custo x qualidade no mercado brasileiro?
Colorado Índica.

7) Melhor chope (nacional ou estrangeiro) à venda no Brasil
Seasons/Green Flash Holy Cow. Bebi um pint recentemente no Herr Pfeffer e lembrei o quanto esse chope é gostoso!

8) Melhor bar/brewpub cervejeiro nacional
Empório Alto dos Pinheiros.

8a) Em que local você tomou o chope mais bem tirado em 2014?
No Delirium Café do Rio.

9) Melhor cerveja caseira
A que mais gostei esse ano foi uma Porter com avelã feita por Eduardo Carvalho e Fernando Varanda, cervejeiros caseiros aqui do Rio.

10) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil
Tem um monte, mas a que me veio à cabeça primeiro foi a Lolita, da Goose Island.

11) Melhor blog ou site cervejeiro
Dois Dedos de Colarinho. Tem muitos blogs e sites cervejeiros bons no Brasil, mas acompanho o Marcio Beck desde o 700 Cervejas e acho ótimo o trabalho mais aprofundado que ele faz.

12) Melhor design de rótulo de cerveja, nacional, importada ou caseira
Os rótulos da Omnipollo são muito bonitos e originais. Gostei bastante do design minimalista da Schiuma Party, colaborativa deles com a Stillwater.

13) Qual sua combinação favorita de cerveja e comida?
No prato principal, uma boa IPA com moqueca de camarão. Na sobremesa, Mort Subite Framboise com sorvete de tapioca.

14) Melhor evento cervejeiro nacional
Certamente o Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau (SC).

15) Qual foi a maior novidade cervejeira de 2014 (receita, cervejaria ou técnica)?
Pra mim foi o nascimento da Japas Cervejaria, projeto que eu, Carolina Oda, Carolina Okubo, Fernanda Ueno e Yumi Shimada temos maturado desde abril e que virou realidade em dezembro, quando fizemos a Wasabiru (pale ale com Sorachi Ace e wasabi) na Cervejaria Nacional.

16) Melhor fato cervejeiro
Estamos aos pouquinhos entrando na onda das Sour Beers e isso é ótimo! Então, nesse sentido, acho que um dos melhores fatos foi o lançamento de cervejas azedinhas no Festival Brasileiro da Cerveja: curti a linha Sour Me Not da Way (gosto especialmente da Acerola) e achei a Wheat Wine da Morada fantástica.

17) Pior fato cervejeiro
Aumentos de impostos, sempre eles.

18) Previsão cervejeira para 2015
Acredito que haverá o surgimento de mais rótulos do tipo Sour. Outras bebidas, como hidromel, cidra e destilados, também devem começar a ser produzidas de forma mais consistente por cervejarias brasileiras, seguindo a tendência dos EUA. É possível e muito desejável também que os produtores de cerveja artesanal – os “grandes” e os pequenos! – tenham em 2015 mais voz e mais força no mercado.

19) Para você, o que é cerveja artesanal?
Cerveja artesanal é experimentação, inovação. É uma fuga da massificação e do lugar comum.

20) Quem foi a pessoa que mais trabalhou pela cerveja brasileira em 2014?
Não sei apontar só uma pessoa. Muita gente tem feito coisas boas na divulgação da cultura cervejeira e no fortalecimento econômico do setor.

21) Que experiência própria, profissional ou pessoal, você acha que poderia ser aplicada à cerveja artesanal?
O que aprendi quando criança, estudando em uma escola experimental e nada tradicional, foi pensar “fora da caixa”, fazer diferente, não se contentar com os padrões. Desde sempre eu tento aplicar esse pensamento mais livre à minha vida; no entanto, muitas vezes me vi cerceada por regras na minha carreira em marketing, com as quais eu nem sempre concordava. Hoje sou muito feliz profissionalmente, pois sinto que posso dar vazão à criatividade e experimentar muitas coisas, sem medo de errar e podendo sempre tentar de novo pra fazer melhor. Que nem quando eu estava na escola.

22) É possível se sustentar trabalhando apenas com cerveja no Brasil?
Para mim ainda não, pois os investimentos que fiz em projetos cervejeiros ainda estão muito longe de se pagar. Mas acredito que as perspectivas de crescimento do mercado são muito boas, e quem fizer um bom trabalho e se dedicar de verdade vai colher frutos em breve.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s