Altair Nobre

AltairNobre

NOME: Altair Nobre
IDADE: 45
CIDADE E ESTADO EM QUE VIVE: Porto Alegre (RS)
FORMAÇÃO: Jornalista
ATUAÇÃO NA CERVEJA: jornalista, fundador e editor da revista para tablet e smartphone Beer Art
BLOG/SITE: http://revistabeerart.com
TWITTER: http://twitter.com/revistabeerart
FACEBOOK: http://www.facebook.com/revistabeerart
INSTAGRAM:  http://instagram.com/revistabeerart

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil:
Morada Cia Etílica Hop Arabica. Tem um ingrediente bem brasileiro, o café, e outro muito apreciado, a criatividade. Essa American Blond Ale com café incluído ao final do processo, não em grão, mas coado, é uma novidade de 2014 incorporada à minha galeria das favoritas. André Junqueira, da Morada Cia Etílica, fez à Beer Art (ed. 9) uma afirmação sobre a Hop Arabica que porta alguma verdade, por trás de exagerada modéstia: “Às vezes, eu olho para ela e tenho um pouco de dó porque fui eu que fiz. Na mão de outras pessoas, ela seria uma daquelas cervejas lendárias do planeta “. Pra mim, ela já é lendária.

1a) Melhor IPA produzida no Brasil:
Tupiniquim Polimango. Uma India Pale Ale nada tradicional. Na verdade, é uma Double IPA, que leva aveia e até farinha de polenta. Por incrível que pareça, o resultado é tão bom que torna difícil para os desavisados acreditarem nessa composição, combinada com sutileza sob um teor alcoólico alto (9,5%). É uma colaborativa da Tupiniquim, uma das cervejarias que foram revelação no ano, com a cervejaria cigana sueca Omnipollo.

1b) Melhor Weissbier produzida no Brasil:
Eisenbahn Weizenbock. Nenhuma cerveja brasileira foi mais premiada em 2014. Em um dos principais concursos, o World Beer Awards, foi eleita a melhor de trigo do mundo. Uma façanha dessa cervejaria de Blumenau (SC) integrante da Brasil Kirin.

2) Melhor Lager produzida no Brasil:
Perro Libre Pilsen. Um voto bem pessoal, de quem gostou da dosagem de lúpulo acima do que se costuma encontrar em uma Pilsen. É um dos três rótulos de estreia dessa cervejaria surgida em Porto Alegre e cigana por opção, que em 2015 deve perambular muito − “sem coleira”, como diz o seu lema.

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
Tem tanta cerveja nova nacional, que tenho me concentrado nelas. Vou citar a Ale estrangeira de que mais gostei em 2014: a Leffe Royale. E o preço é bem em conta (pode ser encontrada por R$ 12,90 enquanto respondo a esta enquete). É uma boa opção para aficionados por estilos belgas, como o Dark Strong Ale.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Brooklyn Lager.

5) Qual estilo de cerveja você mais bebeu no ano?
Belgian Strong Blond Ale. Se houver um “The Belgian Strong Blond Ale Day”, estou dentro −  mas acredito que será difícil criarem a data, porque o nome é muito longo. O fato é que é o meu estilo favorito.

6) Qual cerveja tem a melhor relação custo x qualidade no mercado brasileiro?
Se me permite, gostaria de dizer não uma cerveja específica, e sim uma linha de cervejas, a da Eisenbahn. Eu ficaria muito feliz se as cervejas de que mais gosto tivessem o mesmo nível de preço dela.

7) Melhor chope (nacional ou estrangeiro) à venda no Brasil
Delirium Tremens.

8) Melhor bar/brewpub cervejeiro nacional
Delirium Café Rio. Embora cada vez mais tenhamos bons bares, este me marca pela mística que envolve o pub original. É um privilégio pedir uma Delirium on tap nessa espécie de embaixada da cerveja belga, que mais recentemente ganhou também um bar em São Paulo.

8a) Em que local você tomou o chope mais bem tirado em 2014?
Biermarkt Vom Fass, um endereço de Porto Alegre que tem se caracterizado pela estrutura qualificada, em seu sistema de câmaras frias e torneiras, e pelo profissionalismo.

9) Melhor cerveja caseira
Voto em uma cerveja que não tomei, mas justifico minha decisão: a Jota Beer, uma Strong Scotch Ale de Ricardo Zambelli que foi o destaque principal entre as 39 cervejas premiadas no  IX Concurso Nacional das ACervAs, uma iniciativa altamente meritória realizada em Salvador em novembro.

10) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil
Double Bastard, da Stone Brewing.

11) Melhor blog ou site cervejeiro
Por obrigação moral, tenho de votar no site da revista que criei, o revistabeerart.com, em que me empenho para entregar jornalismo de qualidade e contribuir para o avanço do segmento.

12) Melhor design de rótulo de cerveja, nacional, importada ou caseira
Cafuza Imperial Black IPA, da cervejaria Serra de Três Pontas (com origem mineira e sede em São Paulo), que em 2014 deixou de ser caseira e ganhou escala comercial, com produção pela Invicta.

13) Qual sua combinação favorita de cerveja e comida?
Costela de porco e Stout.

14) Melhor evento cervejeiro nacional
Mondial de la Bière Rio. Tem intercâmbio com o mercado internacional, um número enxuto de cervejas premiadas e um formato interessante (com Petit Pub, por exemplo) reproduzido das versões do exterior.

15) Qual foi a maior novidade cervejeira de 2014 (receita, cervejaria ou técnica)?
A Cervejaria Tupiniquim, pela inserção meteórica no mercado sustentada por uma estratégia que inclui produção em parceria com cervejeiros ciganos estrangeiros consagrados e distribuição e acesso aos pontos de venda competentes, com a expertise da importadora dos sócios (a Beer Legends).

16) Melhor fato cervejeiro
O desbravamento do mercado externo por iniciativas como a da Wäls começando a fabricar cerveja nos EUA e a da Amazon, no Reino Unido.

17) Pior fato cervejeiro
A exclusão das microcervejarias do projeto que as incluiria no regime diferenciado de imposto (Simples).

18) Previsão cervejeira para 2015
Busca de alternativas ao mercado interno, tais como exportar e abrir fronts de produção ou engarrafamento no exterior.

19) Para você, o que é cerveja artesanal?
Uma expressão social, política e econômica da diversidade e da cultura do slow food e do slow brew, que valoriza o desenvolvimento local e apresenta bem-vindas alternativas à massificação em um dos hábitos mais antigos da civilização.

20) Quem foi a pessoa que mais trabalhou pela cerveja brasileira em 2014?
Voto no Túlio Rodrigues, porque ao liderar os cursos de empreendedorismo nos negócios da cerveja ele ajudou a aumentar o profissionalismo e a segurança para quem está ingressando nesse mercado desafiador. O segmento demanda informação, profissionalismo e gestão. Cursos sérios e bem preparados, como os da Beer Academy, assim como os do Instituto da Cerveja, em São Paulo, e o da Escola Superior de Cerveja e Malte, em Blumenau (SC), entre outros, estão prestando um grande serviço para a expansão da cerveja artesanal e das atividades que despontam no seu entorno.

21) Que experiência própria, profissional ou pessoal, você acha que poderia ser aplicada à cerveja artesanal?
Deveria ser mais aplicada a obsessão de estudar em detalhes a produção e o mercado, para dar um salto de qualidade. Cerveja artesanal não pode ser sinônimo de bebida experimental, acidental, assim como não deve ser uma aventura empresarial.

22) É possível se sustentar trabalhando apenas com cerveja no Brasil?
Ainda não. Mas daqui a algum tempo, e muito trabalho, será.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s