Eli Bernardino Jr.

EliJunior

NOME: Eli B. Coelho Junior
IDADE: 42
CIDADE E ESTADO EM QUE VIVE: Florianópolis (SC)
FORMAÇÃO: Administrador, empresa familiar, no ramo de panificação. Ex-proprietário da Besser Distribuidora (Eisenbahn) e Academia da Cerveja.
ATUAÇÃO NA CERVEJA: Sommelier de cervejas, jurado em alguns concursos cervejeiros, como o Mestre Cervejeiro Eisenbahn 2013, Festival da Cerveja 2014, entre outros.
BLOG/SITE: não possui
TWITTER: http://twitter.com/bernardjuniors
FACEBOOKhttps://www.facebook.com/junior.acadcerveja
INSTAGRAM:  http://instagram.com/elijunior

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil
BodeBrown Wee Heavy.

1a) Melhor IPA produzida no Brasil
Seasons Green Cow.

1b) Melhor Weissbier produzida no Brasil
Eisenbahn Weizenbier.

2) Melhor Lager produzida no Brasil
Coruja Coice, uma das Lagers com maior teor alcoólico do Brasil

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
Sierra Nevada Pale Ale.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Brooklyn Lager.

5) Qual estilo de cerveja você mais bebeu no ano?
Vienna.

6) Qual cerveja tem a melhor relação custo x qualidade no mercado brasileiro?
Linha Bierland.

7) Melhor chope (nacional ou estrangeiro) à venda no Brasil
Bodebrown Cacau IPA.

8) Melhor bar/brewpub cervejeiro nacional
The Liffey Brew Pub, no Passeio Pedra Branca.

8a) Em que local você tomou o chope mais bem tirado em 2014?
Cigar City Pub, em Tampa (EUA).

9) Melhor cerveja caseira
Weizenbock com café, do Raphael Tonera.

10) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil
Biere de Mars, da Cigar City.

11) Melhor blog ou site cervejeiro
All Beers.

12) Melhor design de rótulo de cerveja, nacional, importada ou caseira
Machete Double IPA, Birrificio del Ducatto.

13) Qual sua combinação favorita de cerveja e comida?
Zingibeer, da Doppio Malto, com sushi.

14) Melhor evento cervejeiro nacional
Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau (SC).

15) Qual foi a maior novidade cervejeira de 2014 (receita, cervejaria ou técnica)?
Congresso Técnico da Acerva Catarinense.

16) Melhor fato cervejeiro
A conquista da Wäls na World Beer Cup.

17) Pior fato cervejeiro
A não inclusão das cervejarias no Simples Nacional, a continuidade da falta de incentivo por parte do Estado e ainda, a articulação pouco engajada pelo setor interessado.

18) Previsão cervejeira para 2015
A continuidade dos múltiplos lançamentos do setor, a entrada cada vez mais forte das grandes cervejarias no nicho das cervejas especiais.

19) Para você, o que é cerveja artesanal?
Pra mim, cerveja artesanal é um conjunto. Não acho que uma grande cervejaria não possa ser dona de uma pequena, porém a forma como ela foi tocada até então deve ser mantida. Da mesma forma, não considero limitar volumes como fator determinante para nomenclatura. Exceção seria se houvesse políticas escalonadas para tributação. Mas vejo a cerveja artesanal como aquela cerveja difícil de encontrar, regionalizada, com poucas e dedicadas pessoas trabalhando nela, podendo, sim, ter nuances diferentes de uma produção pra outra, sem padrão industrial, mas com padrão acima de tudo de qualidade. Esse é o conjunto.

20) Quem foi a pessoa que mais trabalhou pela cerveja brasileira em 2014?
Samuel Cavalcanti, da Bodebrown.

21) Que experiência própria, profissional ou pessoal, você acha que poderia ser aplicada à cerveja artesanal?
Minha experiência em distribuição mostra que ainda estamos longe de um profissionalismo real. Creio que o setor, altamente conhecedor de cervejas, incentivador do meio, extremamente bem articulado, carece de conhecimentos básicos, simples. Algumas cervejarias, não todas, vendem através de distribuidor e direto ao consumidor final, não praticando política de preço coerente com o revendedor, ou ao menos nem observando que há outra empresa na ponta realizando o trabalho. Em alguns casos, o distribuidor, que detém o direito de comercialização em um determinado espaço, acaba sendo questionado pelo cliente por que os preços são díspares. Enfim, este é apenas um caso que, acredito, com o tempo, poderá sim melhorar a penetração em muitos lugares.

22) É possível se sustentar trabalhando apenas com cerveja no Brasil?
Acredito que sim. São vários os ramos de negócio e possibilidades. Distribuição, treinamento de brigada, palestras, venda direta no varejo, franquias, fábricas, eventos, confecção específica, consultorias. Creio que o profissional qualificado e empenhado consegue sim, viver trabalhando apenas com cerveja no Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s