Carlos Lima

CarlosLima

NOME: Carlos Lima
IDADE: 33
CIDADE E ESTADO EM QUE VIVE: São Paulo (SP)
FORMAÇÃO: Gerente de Projetos de TI desde 2004, ainda atuando na área.
ATUAÇÃO NA CERVEJA: Realizei o curso de sommelier de cervejas pelo Senac/Doemens em Janeiro de 2011 e mestre em estilos e avaliação de cervejas em 2014. Desde 2011 atuo no mercado, seja prestando consultoria a importadoras, realizando eventos, escrevendo matérias/reviews para blogs/sites. Em Fevereiro de 2014 lancei o Social Beers e participo de outros empreendimentos no meio com lançamentos em breve.
BLOG/SITE: http://www.socialbeers.com.br
TWITTER: http://twitter.com/carlosveiolima
FACEBOOK: https://www.facebook.com/profile.php?id=100001448475208
INSTAGRAM: http://instagram.com/carlosveiolima

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil
Morada Hop Arabica.

1a) Melhor IPA produzida no Brasil
Maniba Black Metal IPA

1b) Melhor Weissbier produzida no Brasil
Invicta Weiss.

2) Melhor Lager produzida no Brasil
Bamberg Die Hard (não produzida atualmente), DUM Jan Kubis (em produção).

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
Sixpoint Resin.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Ayinger Jahrhundert.

5) Qual estilo de cerveja você mais bebeu no ano?
IPA.

6) Qual cerveja tem a melhor relação custo x qualidade no mercado brasileiro?
Júpiter APA, STP Cafuza.

7) Melhor chope (nacional ou estrangeiro) à venda no Brasil
Ballast Point Sulpin IPA.

8) Melhor bar/brewpub cervejeiro nacional
Empório Alto dos Pinheiros.

8a) Em que local você tomou o chope mais bem tirado em 2014?
Empório Alto dos Pinheiros.

9) Melhor cerveja caseira
Não tenho bebido muitas… das poucas que bebi, a Tripel com centeio, malte Pale Ale e trigo e com lupulagem contínua de Centennial do Matheus Franco foi bem interessante.

10) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil
Falando de cervejarias que realmente têm volume para exportar para o Brasil, e não “daquela microcervejaria que visitei em 2008, naquela cidade de 800 habitantes no meio da Áustria”, passou da hora de Deschutes Brewery chegar ao Brasil.

11) Melhor blog ou site cervejeiro
All Beers.

12) Melhor design de rótulo de cerveja, nacional, importada ou caseira”
“Rótulo” do growler da Hiver Blanche, feita em parceria entre Le Chat Volant (FRA) e Dortmund (BRA) pelo Social Beers.

13) Qual sua combinação favorita de cerveja e comida?
Burger com Brown Ale.

14) Melhor evento cervejeiro nacional
IPA Day.

15) Qual foi a maior novidade cervejeira de 2014 (receita, cervejaria ou técnica)?
Está na cara que foi o Social Beers! haha… O Social Beers colocou no ar um modelo em que o mercado cervejeiro como um todo é beneficiado: desde as cervejarias (já que utilizamos a capacidade ociosa delas, além de promover as cervejas colaborativas com cervejarias estrangeiras); os bares (que contam com um produto novo frequentemente e sem necessidade de se preocupar com estoque ou reposição); o público consumidor (que é ávido por novidades e tem acesso aos nossos produtos exclusivos, além das belas cervejas); o cervejeiro caseiro (que pode lançar sua cerveja por meio do Social Beers), passando também pelas empresas que fabricam materiais relacionados com cerveja (copos, growlers, abridores etc.); transportadoras; empresas que realizam as gravações das brassagens; empresas de design que criam os rótulos, enfim, o Social Beers consegue mobilizar todos os envolvidos no negócio da cerveja e isso é algo muito foda! Pra não falar no intercâmbio: trouxemos cervejeiros norte-americanos, franceses, holandeses… traremos ainda suíços, italianos, espanhóis, dinamarqueses…

16) Melhor fato cervejeiro
A distribuição de cervejas melhorou… seja em restaurantes, bares especializados, “feirinhas gastronômicas”, espaços de food trucks, eventos… a boa cerveja está mais acessível.

17) Pior fato cervejeiro
Ainda vemos pessoas tentando se aproveitar da “onda” fazendo ações/eventos que não ajudam a desenvolver o mercado.

18) Previsão cervejeira para 2015
Definitivamente a utilização de frutas e ingredientes locais (se bem que isso é mais um fato que tendência), continuação das Session e renascimento de estilos menos em voga, como Gose e Grodziskie… e, claro, a eterna busca de uma cerveja com “personalidade” brasileira. Basta ver o que aconteceu nos Estados Unidos em 2013/2014… vai acontecer aqui em 2015.

19) Para você, o que é cerveja artesanal?
Podemos pensar na questão do volume produzido pela cervejaria ou em quão manual/automatizado é o processo de fabricação, ou ainda qual a “filosofia” da cervejaria, mas “cerveja artesanal”, na minha opinião, é mais uma questão de marketing, não no sentido de enganar o consumidor, mas uma característica da cerveja que está sendo divulgada em larga escala para denominar cervejas fabricadas em pequena escala quando comparadas às cervejas de grandes cervejarias. Vejo muita filosofia em cima disso ultimamente, além de muitas idéias subjetivas e pessoais! Gosto de pensar em “boas cervejas” ou “belas cervejas” (um conceito já difundido nos Estados Unidos, no sentido de uma análise mais completa da cerveja), que é muito mais pessoal e menos mercadológico. Menos “poesia cervejeira” e mais cerveja boa, por favor!

20) Quem foi a pessoa que mais trabalhou pela cerveja brasileira em 2014?
Não sei se foi quem mais trabalhou, mas a Dilma certamente foi a que mais ganhou! Haha. Vemos muitas pessoas postando em redes sociais nos milhões de grupos relacionados à cerveja, vemos muitas ações voltadas à divulgação de novas cervejas etc. Assim como há, claramente, pessoas que mais se aproveitam do momento. Há também, certamente, outras pessoas que particularmente não tenho conhecimento das ações, então não me sinto confortável em escolher um nome. Acredito que o movimento e a energia que estão sendo construídos são muito positivos e só tendem a aumentar. Se eu realmente precisasse citar um nome, seria o querido Paulo Almeida, do EAP, pela disposição e vitrine que apresenta.

21) Que experiência própria, profissional ou pessoal, você acha que poderia ser aplicada à cerveja artesanal?
Tudo depende do projeto de que você faz parte: se você está planejando montar uma cervejaria em Curitiba, é bem diferente de montar uma cervejaria no Acre – além da questão geográfica, obviamente. Poderia falar em “paixão” ou algum outro sentimento realmente necessário, mas pra mim tudo isso é um meio, é algo que te ajudará a fazer algo realmente útil, original. Acredito que não é possível fazer algo REALMENTE bom sem o sentimento, sem a vocação, sem motivação e, algumas vezes, sem grana e sem disposição para quebrar a cara algumas vezes. Seria muito bonito, quase poético, mas a prática é meio diferente. Você não precisa lançar um produto totalmente novo, mas originalidade, em algum aspecto do processo, é essencial.

22) É possível se sustentar trabalhando apenas com cerveja no Brasil?
Eu não me sustento apenas com cerveja mas conheço pessoas que se sustentam, então sim, é possível.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s