Gustavo Renha

GustavoRenha

NOME: Gustavo Renha
IDADE: 29
CIDADE E ESTADO EM QUE VIVE: Niterói (RJ)
FORMAÇÃO: Estudante de gastronomia.
ATUAÇÃO NA CERVEJA: Sommelier de cervejas, consultor de bares e restaurantes,  apresentador do Rock n’ Beer na Rádio Cidade 102.9.
BLOG/SITE: não possui
TWITTER: não possui
FACEBOOK: https://www.facebook.com/gustavo.renha
INSTAGRAM: http://instagram.com/gustavorenha

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil
Morada Hop Arabica.

1a) Melhor IPA produzida no Brasil
Tupiniquim Polimango.

1b) Melhor Weissbier produzida no Brasil
Fraga Weiss, St Gallen Weiss.

2) Melhor Lager produzida no Brasil
Bamberg O Calibre.

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
No Rio falta com frequência, mas para mim ainda é a BrewDog Tokyo.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Ayinger Celebrator Doppelbock.

5) Qual estilo de cerveja você mais bebeu no ano?
Pilsen, pela disponibilidade no mercado, mas acredito que logo em seguida vieram estilos belgas de um modo geral, principalmente Blond e Tripel.

6) Qual cerveja tem a melhor relação custo x qualidade no mercado brasileiro?
Landel Session IPA.

7) Melhor chope (nacional ou estrangeiro) à venda no Brasil
Tripel Karmeliet.

8) Melhor bar/brewpub cervejeiro nacional
Black Dog English Pub, em Bélem.

8a) Em que local você tomou o chope mais bem tirado em 2014?
Botto Bar (RJ), sem dúvida!

9) Melhor cerveja caseira
Do Jarbas Menezes, Bohemian Pilsner que ganhou o Festival da AcervA Niterói, e Urbana Bolly Babe, India Black Ale com Curry.

10) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil
Goose Island Bourbon County Stout.

11) Melhor blog ou site cervejeiro
Brasileiros, gosto do A Perua da Cerveja , Bom de Copo e do Dois Dedos de Colarinho. O projeto do podcast do Beercast é bem maneiro também!

 12) Melhor design de rótulo de cerveja, nacional, importada ou caseira
Nacional: Morada Double Vienna e Seasons Holy Cow. Caseira: Rockbird Homebrewing

 13) Qual sua combinação favorita de cerveja e comida?
Estilos belgas com comida japonesa, tem diversas opções sensacionais e de fácil acesso.

 14) Melhor evento cervejeiro nacional
Encontro Nacional das AcervAs 2014, em Salvador. A minha vontade era não voltar nunca mais pra casa!

 15) Qual foi a maior novidade cervejeira de 2014 (receita, cervejaria ou técnica)?
A Liga das Cervejas Extraordinárias, de Curitiba. Os caras chegaram com o pé na porta, Morada, Tormenta, DUM, só sai coisa boa dali!

 16) Melhor fato cervejeiro
Posso citar dois fatos, o Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cerveja, que trouxe uma nova visão para o mercado nacional, e também diversas fábricas investindo em melhorias dos seus equipamentos e conhecimento profissional, como Bamberg, Wäls etc.

17) Pior fato cervejeiro
Belgian Beer Weekend Rio 2014. Deprimente a falta de organização, o uso de nomes e marcas belgas sem nenhuma autorização das mesmas, um evento que mostra que ainda existe gente que acha que pode tratar a cerveja e seus consumidores sem nenhum tipo de respeito.

 18) Previsão cervejeira para 2015
Aumento de cervejarias ciganas (devido à quantidade grande de excelentes cervejeiros caseiros no Brasil), aumento de vendas de cervejas artesanais em supermercados e restaurantes tradicionais que tinham contratos caros de exclusividade com grandes empresas, novidades de importação de grandes nomes americanos que não esperávamos até pouco tempo atrás.

 19) Para você, o que é cerveja artesanal?
Pra mim é um produto que se preocupa com coisas básicas que foram esquecidas, como a qualidade da matéria prima, o investimento maior em equipamentos e conhecimento do que em marketing e, principalmente, que respeita o consumidor final, coisa que deveria ser o primordial, mas não é. E acho também que é um item ainda pouco explorado de um modo geral pela gastronomia, e que pode agregar muito em todos os sentidos para o segmento de alimentos.

 20) Quem foi a pessoa que mais trabalhou pela cerveja brasileira em 2014?
Impossível citar um nome só, até porque a união geral faz a força. Mas, se tiver que destacar, acho que o José Felipe Carneiro, junto à família Wäls fez um trabalho muito legal divulgando a cerveja brasileira pro mundo. O Paulo Schiaveto, junto com a equipe, trouxe a South Beer Cup mais uma vez para o Brasil,; a Kathia Zanatta e a equipe do ICB criaram o Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cervejas; Cilene Saorin se empenhou junto à Fagga para trazer o Mondial de la Bière para o Rio, e mais um monte de gente que se dedica a fazer o diferencial.

 21) Que experiência própria, profissional ou pessoal, você acha que poderia ser aplicada à cerveja artesanal?
A maior preocupação com o serviço do bar. É extremamente necessária a atenção do importador, do dono da cervejaria, do dono/gerente do estabelecimento com os garçons, eles que estão na ponta fazendo a venda desse produto. E, na maioria das vezes, falando besteiras enormes porque ninguém se preocupou em ensinar nada para eles. A culpa não é deles, e sim de quem vem de cima e, na maioria das vezes, esquece desse profissional que está na frente do cliente.

 22) É possível se sustentar trabalhando apenas com cerveja no Brasil?
Sim. Eu trabalho com cerveja há sete anos, e faço “apenas” isso há dois. Ainda não consigo uma estabilidade financeira, mas consigo pagar minhas contas em dia e trabalho com o que gosto. Devagar, acho que isso tende a melhorar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s