Linus de Paoli

LinusdePaoli

NOME: Linus De Paoli
IDADE: 36
CIDADE E ESTADO EM QUE VIVE: Sorocaba (SP)
FORMAÇÃO: Engenheiro mecânico com ênfase em aeronaves. Trabalho na indústria automobilística desde 2003 com desenvolvimento de produto.
ATUAÇÃO NA CERVEJA: Cervejeiro caseiro desde 2011 com participação em alguns concursos e eventos. Busco conciliar a apreciação de cervejas com a prática regular de corrida de longa distância. Meta a curto prazo é ser um dos primeiros brasileiros a completar a Beer Mile.
BLOG/SITE:  http://rotenfussbier.wordpress.com
TWITTER: http://twitter.com/rotenfussbier
FACEBOOK: http:// www.facebook.com/linus.depaoli/
INSTAGRAM: http://instagram.com/linusdepaoli/

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil
Das que eu tomei esse ano diria que a Bamberg Angel Tripel (receita vencedora do Concurso Paulista de Cerveja Caseira de 2011 do Alexandre X Xerxernevsky). Pena que só foi produzido um lote. Tripel muito bem feita, seca e aromática na medida certa e sem deixar nada a desejar frente aos exemplares belgas. Parabéns aos Alexandres (X e Bazzo) pela receita e por produzi-la tão bem em larga escala.

1a) Melhor IPA produzida no Brasil
Difícil dizer. Esse ano bebi muita IPA boa feita no Brasil (e muita IPA ruim). Gostei muito da Júpiter IPA,Tupiniquim Extra Fancy IPA, Dama IPA e kit Single Hop da Dama, Burgman IPA HOP e Hoffen Zeus (receita feita em conjunto com a confraria de cervejeiros caseiros de Sorocaba). Acho que a melhor foi a Tupiniquim Extra Fancy IPA da Tupiniquim, mas a que mais bebi o ano todo foi a Dama IPA.

1b) Melhor Weissbier produzida no Brasil
Bamberg Weizenbock Dunkel. Acho que não tomei muitas Weissbier em 2014, mas essa sazonal da Bamberg tem o que eu gosto em uma cerveja, sendo mais forte que as Weizen em geral. Além de poder tomá-la fresca perto da fábrica.

2) Melhor Lager produzida no Brasil
Bebo muito pouca cerveja Lager por ser tão fã de Ales, em especial das IPAs, mas tive algumas surpresas positivas esse ano. Talvez mais pelo meu gosto por cervejas com muito aroma de lúpulo cítrico, para mim a melhor Lager foi a Dama 2014 (Lager com dry hopping feita durante o período da Copa).

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
Surpreendentemente é uma IPA. Session IPA pelo menos. Sou apaixonado pela All Day IPA da Founders e fiquei muito triste em saber que ela não será mais importada para o Brasil.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Como falei antes eu não bebo muita cerveja Lager por preferir as Ales. Importadas para o Brasil, então, foram pouquíssimas. As únicas que achei no Untappd este ano foram a Paulaner Münchner Hell e a Meantime Union Lager. Então acho que é por falta de tomar outras, mas também por ser uma cerveja bem feita e honesta, a Meantime Union Lager.

5) Qual estilo de cerveja você mais bebeu no ano?
“Vai ter IPA?”  foi a pergunta que mais fiz no ano todo no Facebook sempre que se anunciava um evento ou lançamento de cerveja. E acho que resume qual meu estilo preferido e qual mais bebi o ano todo. Para confirmar é só olhar os meus check ins no Untappd deste ano.

6) Qual cerveja tem a melhor relação custo x qualidade no mercado brasileiro?
Pela minha proximidade da fábrica e fácil acesso aos chopes, uma das melhores relações custo x qualidade são os chopes da Bamberg, geralmente vendidos a 7 reais por 300ml. Em termos gerais, diria que as cervejas francesas da Jenlain têm uma ótima relação custo x qualidade. Frequentemente encontro garrafas de 750ml por menos de 30 reais e long necks por menos de 10 reais. É uma cerveja honesta com um preço bem mais baixo do que a maioria das belgas de mesmo estilo.

7) Melhor chope (nacional ou estrangeiro) à venda no Brasil
Acho que o melhor chopp é aquele que a gente pede de olho fechado. Sem pensar muito se ele vai vir oxidado/velho ou no custo/benefício. E por incrível que pareça, segundo esses critérios, para mim o melhor é o Brewdog Punk IPA. Mesmo podendo gerar dúvidas quando ao frescor, nunca me decepcionei com ele, independente de onde peço.

8) Melhor bar/brewpub cervejeiro nacional
Dos bares cervejeiros que frequentei esse ano, para mim o destaque foi o The Beer Market em Jundiaí. Belíssima carta de cervejas, boas opções de chopp, boa comida em um ótimo local.

8a) Em que local você tomou o chope mais bem tirado em 2014?
Como a pergunta deixa implícito que o local é no Brasil continuaria com o The Beer Market. Foi minha única visita mas valeu a pena e voltaria lá com certeza. Nos demais que frequentei uma ou outra vez peguei um cerveja com problemas de temperatura, carbonatação, formação de espuma, pouco frescor na cerveja (oxidada) ou contaminação nas linhas/chopeiras.

9) Melhor cerveja caseira
Acho que só bebi cerveja caseira que eu mesmo fiz esse ano por ter ficado um pouco fora do cenário cervejeiro caseiro. Ou seja, não vou conseguir fugir do auto voto hehehehe. A cerveja que fiz que mais gostei de beber foi uma American Pale Ale com lúpulo Hallertau Saphir. Mas também destaque para uma garrafa de Oaked Dr. Piló (Imperial Stout) guardada há uns 3 anos no fundo do armário.

10) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil
Esse ano tomei ótimas cervejas que ainda não chegaram ao Brasil, então fica difícil falar em uma. A Dogfish Head é uma cervejaria que faz muita falta aqui por ter uma coleção incrível de ótimas cervejas, destaques para Noble Rot, Aprihop e 75 Min IPA. Sem falar na Stone Brewing, que é uma das minhas cervejarias favoritas. Das inglesas que tomei, daria destaque para a Thwaites  Crafty Dan (que não é importada para o Brasil), uma English Pale Ale com uma bela pegada cítrica. Agora uma que apaixonei esse ano foi a escocesa Caesar Augustus da Williams Brothers Brewing Co., uma India Pale Lager (híbrida IPA e Lager) com 4.1% ABV, 33 IBUs e lúpulos Nelson Sauvin, Amarillo, Styrian e Cascade. Ela é crispy e seca como uma boa Lager e aromática ao extremo como uma boa IPA. Como diz aquele chef da TV:”Beberia em quantidades absurdas”.

11) Melhor blog ou site cervejeiro
Acho que ainda falta um site ou blog cervejeiro que atenda 100% das necessidades de quem busca informação no Brasil. Dos que leio com frequência dou destaque ao Goronah e o All Beers. Mas o que mais dá o furo cervejeiro ao longo do ano é nosso nobre escriba Bob Fonseca.

12) Melhor design de rótulo de cerveja, nacional, importada ou caseira
Gosto muito dos rótulos da Bamberg desenhados pelo André Clemente. Os da Bambergerator e da Weizenbock Dunkel, na minha opinião, são os melhores.

13) Qual sua combinação favorita de cerveja e comida?
Minha combinação preferida é cerveja com hambúrguer e/ou churrasco. De preferência uma cerveja com bastante lúpulo de sabor e aroma para limpar a garganta depois de cara mordida.

14) Melhor evento cervejeiro nacional
Infelizmente não participei de nenhum evento cervejeiro em 2014. Uma gafe que pretendo corrigir com louvor este ano.

15) Qual foi a maior novidade cervejeira de 2014 (receita, cervejaria ou técnica)?
Na minha opinião a maior novidade de 2014 foi a instalação da planta da Wäls na Califórnia. Algo inesperado pelo público consumidor e que mostra a qualidade que a cerveja brasileira está alcançando.

16) Melhor fato cervejeiro
Foi a realização do Campeonato Mundial de Beer Mile nos EUA em novembro. Para quem não conhece o Beer Mile é um evento esportivo que até então era informal e acompanhado por alguns fóruns na Internet, e que esse ano ganhou notoriedade nos meios do atletismo e cervejeiro. Ele consiste em percorrer 1 milha dando 4 voltas em uma pista de 400m e tomando uma lata de cerveja da escolha do corredor a cada volta. Mas não deixa de ser uma corrida, tanto que o recorde mundial do Beer Mile é de 4 minutos e 57 segundos. Além disso o segundo melhor fato cervejeiro foi a revisão da tabela de tributação das cervejas artesanais no país. O que mostra que a mobilização do setor finalmente está acontecendo e está começando a dar frutos.

17) Pior fato cervejeiro
Talvez a repetição por algumas cervejarias de estilos e ingredientes já usados por outra e mesmo assim tentar vender tais cervejas como novidade. A maioria das cervejarias tem ido muito nos estilos que as demais fazem o que acaba saturando o mercado com um ou outro estilo e reduz as novidades de verdade. Mesmo sendo um amante de IPA, acho que já está na hora parar de ter tanto lançamento de IPA, Session IPA, Belgian IPA, Black IPA etc. IPA. Ou de tanta cerveja com carambola. Vamos diversificar, por favor?

18) Previsão cervejeira para 2015
Infelizmente algumas cervejarias fechando em função da carga tributária ou de modelos de negócio falhos (vender mais do mesmo, baixo volume etc.). Outras abrindo. Mais cervejas “ciganas” da cabeça de cervejeiros caseiros. Um mercado maior e no entanto menos diverso.

19) Para você, o que é cerveja artesanal?
Cerveja artesanal nada mais é do que a cerveja feita com cuidado e respeito ao produto, geralmente sem adição de amilase na mostura, catalizadores de fermentação e/ou conservantes em excesso. Mas é muito difícil quantificar e classificar o cuidado no preparo e a qualidade do produto. Mas não podemos dizer que é uma cerveja produzida em uma cervejaria com um volume de produção de X L/mês, pois já bebi muita cerveja ruim, Standard American Lager de baixa qualidade, feita por cervejaria pequena. No final do dia cerveja é cerveja. Ponto. O que existem são nichos de mercado diferentes e gostos diferentes para produtos diferentes.

20) Quem foi a pessoa que mais trabalhou pela cerveja brasileira em 2014?
Diria que foram dois.  Em âmbito nacional, o Marcelo Carneiro da Rocha por encabeçar a Associação Brasileira de Cerveja Artesanal. No Estado de São Paulo o Victor Marinho, por trabalhar com tantos projetos novos e lançamento em escala industrial de tantas cervejas que estão na cabeça dos cervejeiros caseiros.

21) Que experiência própria, profissional ou pessoal, você acha que poderia ser aplicada à cerveja artesanal?
Por trabalhar com desenvolvimento de produto há 11 anos e ter uma visão de mercado e negócios, poderia usar essa experiência para desenvolver novos produtos que venham a ter um bom sucesso no mercado. Só que não tenho pretensão alguma de abandonar minha atual atividade principal para me dedicar 100% à cerveja. A menos que apareçam oportunidades de fazer projetos paralelos ao que já faço hoje.

22) É possível se sustentar trabalhando apenas com cerveja no Brasil?
Acho que é possível sim, afinal tem um monte de gente mergulhando de cabeça nesse negócio. Agora se é possível viver bem, o famoso “ser rico” com cerveja, acho que não. Infelizmente o negócio da cerveja artesanal é para os apaixonados, pois o investimento no negócio é altíssimo e o retorno muito baixo ou quase nulo, dependendo da carga tributária e do volume de produção. Ou a empresa segue a filosofia do Jeff Bezos do Amazon, “get big fast” ou morre no prejuízo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s